Fundação de obra: entenda o que é e para quê serve

Dicas técnicas
fundacao-de-obra-entenda-o-que-e-e-para-que-serve.jpeg

Tudo começa pela fundação. Por isso ela é tão importante, pois cada tipo de obra está condicionada a um tipo de alicerce. Assim, evitam-se os erros mais comuns do processo e, consequentemente, prejuízos e gastos desnecessários.

Como esse é um assunto complexo e que requer conhecimento técnico — tanto dos projetistas quanto dos fornecedores de material para a obra — preparamos este post para ajudar você nessa etapa primordial do planejamento da construção.

Aqui, você vai entender o que é a fundação e como garantir que essa estrutura seja executada corretamente. Acompanhe o post!

O que é fundação de obra?

Em termos práticos, podemos dizer que toda construção começa pela fundação. Isso significa que ela abrange a infraestrutura da engenharia, ou seja, a parte estrutural que ficará abaixo do solo.

É por esse motivo que a escolha do sistema de fundação vai depender não apenas do gênero do imóvel (residencial, comercial, industrial etc.), mas, principalmente, das características do solo onde a obra será executada. É isso o que vai garantir a segurança da propriedade.

Qual é a função dessa estrutura?

A fundação (ou alicerce) serve basicamente para apoiar a casa no terreno. Os elementos que compõem a fundação de obra são responsáveis por receber as cargas da edificação — como o peso do prédio e as condições climáticas que incidem nele — e repassá-las ao solo com segurança.

Até aqui já deu para sentir o quão importante é essa etapa da construção, certo? Até porque as consequências de uma escolha de fundação inadequada serão graves. Para você ter uma ideia do prejuízo, certos erros no processo são irreversíveis, culminando na necessidade de demolição da estrutura.

A formação de trincas em tetos e paredes, por exemplo, também pode ser sinal de eventuais erros na etapa de fundação da obra. Para não correr esse risco, é essencial contar com profissionais capacitados durante o processo, pois eles vão saber indicar o tipo ideal de fundação para aquele terreno.

Como garantir que a fundação seja bem construída?

Essa tarefa cabe basicamente ao projetista responsável pela edificação. Contudo, é importante que o proprietário tenha participação nas decisões, acompanhando todas as etapas do processo. Até porque essa tarefa envolve custos e prazos sobre os quais o dono do imóvel precisa estar ciente.

Via de regra, a receita para uma fundação de obra bem-construída consiste na análise do seguinte sistema: carga do imóvel + nível do lençol freático + geotécnica do solo onde a edificação será levantada, especificando ao máximo as características do terreno.

São esses aspectos que vão definir a escolha do tipo de fundação adequado à construção. Para fazer essa análise, os projetistas precisam seguir a norma NBR-15.492, que dita números mínimos de sondagens a serem realizadas conforme a topografia do local. Portanto, você deve desconfiar de projetistas que realizam um único ensaio de sondagem no terreno, por exemplo.

Além disso, outra boa sugestão para acompanhar de perto o processo é considerar os tipos de fundações das edificações vizinhas. Os técnicos tendem a utilizar essa informação como insumo complementar para entender melhor o funcionamento do solo no local.

Em seguida, listamos cinco aspectos básicos que você deve observar para obter uma fundação de obra bem-sucedida.

Siga corretamente as etapas do processo

Isso parece óbvio, mas quem não tem muito conhecimento sobre obras pode cair no erro comum de atropelar algumas etapas, comprometendo a qualidade e a segurança do projeto.

Para você ter uma ideia de como a obra deve caminhar, considere que as seguintes etapas são primordiais:

  • edificação (serviços preliminares);
  • estrutura (fundação e laje);
  • superestrutura (vedação);
  • cobertura (forros e telhados);
  • instalações (elétrica e hidráulica);
  • acabamentos (assentamentos e revestimentos).

Entenda os diferentes tipos de fundação

Esse é o ponto principal. Conhecer os tipos de fundação é imprescindível para saber qual deles é o indicado à sua obra. No Brasil, as mais comuns são as rasas (ou diretas) e as profundas.

A fundação rasa se caracteriza pela mobilização de volumes pequenos de escavação, onde a base da edificação precisa ser obrigatoriamente apoiada em camadas superficiais do solo, observando-se a resistência adequada.

As fundações rasas têm baixo custo de execução, pois consomem pouco material e demandam menos maquinário para a realização das escavações. Dentro desse grupo, temos as fundações do tipo sapatas e radiers.

A escolha da fundação de sapatas está condicionada às resistências das camadas mais superficiais do solo. A fundação de radiers é semelhante às sapatas, mas é recomendada para edificações nas quais as sapatas necessitam de uma área de contato maior no solo.

Quanto às fundações profundas, elas se caracterizam por movimentações intensas no solo e grande necessidade de maquinário. Isso acontece porque, nesse caso, as cargas da edificação precisam ser distribuídas em camadas mais profundas.

A estaca-cravada, o popular bate-estaca, é o tipo de fundação profunda mais comum, podendo ser utilizada em edificações de qualquer porte e em solos de baixa resistência superficial.

Conheça a topografia do local

Como dissemos, a topografia é um dos requisitos para definir o tipo de fundação de obra adequada. Um bom estudo de topografia inclui informações como características e particularidades do local, relevo do terreno, presença de solo mole ou água, obstáculos no terreno e a presença de taludes ou erosões.

A partir desse estudo, o projetista terá consciência do tipo de solo em que estará trabalhando — desde as camadas mais resistentes até as camadas moles — além do nível exato do lençol freático.

Escolha materiais de qualidade

Ao longo da leitura, você compreendeu por que a fundação de obra é uma etapa que requer cuidado e atenção redobrados. E é por isso que nenhum detalhe pode passar despercebido, principalmente na hora de escolher os materiais.

Conte com a ajuda do projetista para saber as reais dimensões da obra, como a disposição dos pilares, as estruturas de contenção, a necessidade de reservatórios, entre outros aspectos pertinentes. Só então pense nos materiais necessários.

Nesse caso, o custo-benefício precisa falar mais alto. Não adianta nada levar opções baratas e, no final das contas, perceber que elas não têm qualidade ou resistência o suficiente — sobretudo na etapa de acabamentos e revestimentos, que é a responsável por dar o “tom” da edificação.

Conte com profissionais capacitados

A escolha dos profissionais também deve ser criteriosa. Outra vez, ressaltamos a complexidade e a importância da etapa de fundação da obra, sobretudo no que diz respeito à segurança da edificação.

A partir daí, fica mais fácil entender por que é tão essencial contar com profissionais capacitados para lidar com todo o conhecimento técnico que a fundação exige — desde o estudo da geotécnica do solo até a execução do projeto em si.

Depois de compreender as utilidades e exigências da fundação, agora sim você já está pronto para realizar uma obra segura e com alto padrão de qualidade.

Gostou do post? Então siga a gente no Instagram e Facebook e fique por dentro das melhores tendências em reformas, construção e acabamentos!

#VivaSuaCasa #DesignDemocrático #DicaPointer #Decoração #MaisDesignEmSuaVida

Comentários

cometários