Tipos de cimento: conheça as principais diferenças entre eles

Dicas Pointer

Tão popular quanto indispensável, o cimento é um dos materiais de construção mais importantes em uma obra. Ele é o composto aglomerante do concreto, que conta com calcário, argila e outros químicos em sua constituição.

Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, cimento não é sempre igual. No Brasil, vários tipos de cimento são comercializados, cada um com propriedades e aplicações diferentes. Continue lendo o nosso artigo e conheça as principais características dos produtos existentes no mercado.

CP I – Cimento Portland Comum

Esse é o tipo básico. Ele conta com gesso como aditivo, que atua para retardar a pega do cimento e permitir maior tempo de aplicação. O Portland Comum é usado na construção civil, em obras convencionais que não demandam a utilização de produtos mais elaborados.

111422-tipos-de-cimento-conheca-as-principais-diferencas-entre-eles

CP I-S – Cimento Portland comum com adição

A composição do CP I-S é praticamente igual à do CPI. No entanto, este último recebe pozolana, um aditivo que aumenta seu o poder de impermeabilização. Essa opção é bastante útil em obras subterrâneas, com maior presença de umidade.

111426-tipos-de-cimento-conheca-as-principais-diferencas-entre-eles

CP II-E – Cimento Portland com escória de alto-forno

O CP II-E é composto com adição de escória de alto-forno. Vale destacar que esse tipo libera menos calor quando entra em contato com a água. Portanto, é recomendado para estruturas que exigem desprendimento lento de calor, reduzindo assim a ocorrência de trincas e fissuras durante o processo de cura.

Ele pode ser usado em pavimentos de concreto, pisos e contrapisos, assentamentos e revestimentos, além de argamassas de chapisco.

CP II-Z – Cimento Portland com material pozolânico

O CP II-Z é aditivado com material pozolânico, o que assegura menor permeabilidade. Assim como CPI-S, ele é recomendado para obras em locais que estejam em contato constante com a água.

CP II-F – Cimento Portland com material carbonático

O tipo CP II-F possui adição de 6 a 10% de material carbonático. Ele é utilizado nas aplicações gerais da construção civil, como pisos e pavimentos, concreto simples e armado.

111424-tipos-de-cimento-conheca-as-principais-diferencas-entre-eles

CP III – Cimento Portland de alto-forno

Por ter maior adição da escória (70% da massa), o CP III apresenta alta durabilidade e impermeabilidade. Além disso, ele tem grande resistência a sulfatos, baixo calor de hidratação e resistência à expansão. É indicado para estruturas de grande porte, como fundações, barragens e afluentes industriais.

CP IV – Cimento Portland pozolânico

O cimento CP IV tem de 15 a 50% de material pozolânico na composição. O elevado teor de pozolana confere maior durabilidade e permeabilidade, o que proporciona estabilidade em ambientes ácidos e expostos ao sulfato. Como não é poroso, sua aplicação é recomendada em áreas em contato com a ação da água corrente.

111427-tipos-de-cimento-conheca-as-principais-diferencas-entre-eles

CP V – Cimento Portland de alta resistência inicial

O cimento CP V não tem adições na composição, mas ele se diferencia dos demais tipos de cimento no processo de fabricação em função da dosagem de clínquer e moagem fina. Mais resistente que os comuns, ele é recomendado para a produção de concreto.

111425-tipos-de-cimento-conheca-as-principais-diferencas-entre-eles

CP RS – Cimento Portland resistente a sulfatos

Como o próprio nome sugere, ele é resistente em ambientes sulfatados — redes de esgoto, áreas industriais com rejeitos e construções expostas à água do mar, por exemplo.

111428-tipos-de-cimento-conheca-as-principais-diferencas-entre-eles

CPB – Cimento Portland Branco

O Cimento Portland Branco atinge a tonalidade clara porque as matérias-primas utilizadas possuem baixo teor de ferro e manganês. Além disso, é utilizado caulim no lugar da argila.

111430-tipos-de-cimento-conheca-as-principais-diferencas-entre-eles

Por conta da discrição e beleza estética, esse material pode ser usado como estrutural ou não, o que permite a utilização em rejuntes de cerâmicas.

Ah, é importante destacar que, embora seja possível assentar revestimentos cerâmicos com cimento, o ideal é investir em argamassas específicas para essa finalidade.

E então, gostou do nosso artigo? Já conhecia todos esses tipos de cimento? Compartilhe suas opiniões e experiências conosco!

Comentários

cometários